Como foi trazer Gaga ao Brasil

 Em Diário da Ju

Foto: Carolina Amares

Eu tenho contado aqui no blog como foi a minha viagem para participar do workshop Gaga Dancers Brasil, um curso para ensinar a linguagem Gaga desenvolvida pelo coreógrafo israelense Ohad Naharin que aconteceu no dia 30 de setembro e 1º de outubro em São Paulo.

Como falei algumas vezes, foi uma experiência fora do comum, transformadora e muito, muito inspiradora. Para quem ainda não conhece Gaga, a linguagem promove a consciência corporal com flexibilidade, energia e agilidade, ampliando o senso de imaginação. Eu já recomendei algumas vezes, mas realmente vale a pena assistir ao o documentário Gaga – O Amor Pela Dança para entender um pouco mais deste universo tão único criado por Ohad Naharin.

O workshop em São Paulo foi ministrado pelo professor convidado Shamel Pitts, bailarino e pupilo de Naharin. Durante o tempo em que participei das aulas consegui conversar com a produtora Carolina Amares, responsável pelo workshop no Brasil, e pude conhecer mais sobre Gaga. Vou compartilhar com vocês esse bate papo:

Como surgiu a ideia de trazer o workshop Gaga Dancers para o Brasil?

Bom, a ideia partiu da Mirelle Martins, que hoje atua no duo Black Velvet que é coreografado pelo Shamel Pitts, o professor convidado do workshop de São Paulo.  A Mirelle conheceu Pitts quando estava em Nova York e fazia aulas de Gaga na cidade. Durante esse período, ficamos amigas e  começamos a conversar sobre trazer o projeto para o Brasil. Assim, iniciamos uma conversa com o Gaga Movement de Tela Aviv, em Israel, para coordenar essa ideia. De 2015 a 2016 organizamos a produção e trouxemos o workshop. Agora, em 2017, fiz a organização por meio da Philipina Cultura, produtora que sou sócia e diretora, que fica em Belo Horizonte.

Como foi a recepção aqui no Brasil?

A recepção foi maravilhosa. Nosso público cresceu bastante desde o primeiro ano e a cada edição ganha mais força e adeptos. O filme Gaga – o Amor Pela Dança, do diretor Tommer Heymman, também ajudou muito na publicidade do curso. Fizemos uma parceria com a Vitrine Filmes para a sua promoção e pudemos levar mais informação ao nosso público.

Existe previsão de acontecer em outras cidades, já que foram realizados apenas no Rio de Janeiro e São Paulo?

A ideia é que em 2018 tenhamos aulas e workshops de Gaga mais vezes durante o ano, em mais cidades, com mais professores, mas com o mesmo grupo na idealização.

Para os bailarinos que estão lendo a entrevista aqui no blog, como eles podem ter mais informações sobre os próximos workshops?

Para saber mais, basta enviar um e-mail para contato@philipina.art.br pedindo para se cadastrar em nosso mailing. Vale a pena curtir também as páginas Philipina Cultura e Gaga Brasil no Facebook para acompanhar as novidades.

 

“Juliana Ribeiro é bailarina profissional, coreógrafa e diretora do Studio de Dança Juliana Ribeiro”.

Posts Recentes

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search